domingo, 30 de agosto de 2015

Assassinato em Cachoeira/Bahia
Márcio, o popular Xoris, foi vítima de homicídio, ocorrido atrás do prédio da Estação Ferroviária da Cachoeira. Socorrido pelo SAMU para uma unidade hospitalar, a vítima veio a óbito, devido a gravidade que as balas causaram ao seu corpo. Casado, Marcos deixou a esposa grávida de três meses, e um filho de um ano.

NA BAHIA

SÃO FÉLIX: POLÍCIA RODOVIÁRIA ESTADUAL 
frustra chacina e prende quatro elementos armados
A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) prendeu, na manhã de sábado (29), quatro pessoas que planejavam, segundo a polícia, cometer uma chacina na cidade de São Felix (BA), a 38 km de Feira de Santana. De acordo com a polícia, Joaneson Gonçalves da Cruz, 24 anos, Oteoni da Silva Cabral, de 31 anos, o irmão dele Irailton da Silva Cabral, 22 anos, um adolescente de 12 anos, fretaram por R$ 120, 00, um veículo Corsa Sedan, de propriedade de Paulo Henrique Costa Lima, 19 anos, que faz transporte irregular de passageiro mais conhecido como “Ligeirinho”. Eles saíram da Praça do Tomba, em Feira de Santana, e ao passar pelo Posto 3.1/1, em São Gonçalo dos Campos, foram abordados pela PRE que encontrou no interior do veículo uma pistola 380, um revólver calibre 38, uma faca e dois revólveres calibres 32, além de um machado, luvas e cerca de 50 munições. Todos foram levados para o Complexo de Delegacias em Feira de Santana. O proprietário do veículo prestou depoimento acompanhado pela advogada Luana Dourado e em seguida foi liberado. O jovem, segundo a advogada, não tinha envolvimento com o grupo, não sabia a intenção dos quatro homens, e foi ouvido pelo delegado Laércio Santos como testemunha. O adolescente também foi liberado porque não houve violência, nem crime de ameaça. Os demais foram autuados em flagrante.

Entenda o caso:
O planejamento da chacina foi motivado por uma vingança. De acordo com a mãe de Joaneson, havia uma disputa por ponto de drogas na cidade de São Felix e por volta das 20h30 do dia 26 de abril deste ano dois homens invadiram a residência dela a procura de Joaneson. Como não o encontraram atiraram no sobrinho dele, uma criança de 3 anos que foi alvejada debaixo do queixo. A bala ficou alojada no crânio e o garotinho perdeu a visão do olho direito. A mãe da criança, de 20 anos, também foi baleada no seio e na cabeça. A família foi obrigada a deixar a cidade e morar em Salvador. Neste sábado o grupo iria se vingar, mas teve o plano frustrado pela PRE. “Eles iriam cometer essa loucura por causa da impunidade da polícia de São Félix. Os meliantes que invadiram minha casa ficam na praça, no campo, tomando cerveja, faço denúncias e eles não fazem nada. Tive que sair da minha casa com minha família, recomeçando do zero, e sofrendo quando olho para meu neto que nasceu perfeito e agora está deficiente de um dos olhos. Meu neto e minha filha não tinham nada a ver com essa disputa de droga e ele só não executou o menino e minha filha porque eu lutei com ele dentro de casa”, disse. O adolescente que foi apreendido e liberado disse que a intenção era matar quem encontrasse. “A arma que eu estava usando? Um 32, um litrão, uma faca e um machado. A gente ia cortar o corpo todo, arrancar cabeça, braço, perna, depois de derrubar. Eles querem ser mais que todo mundo e isso não existe. A gente ia matar quem estivesse lá. Só bateu na mente de ir, conversamos pelo celular e foi aquilo mesmo. Depois a polícia pegou a gente no meio do caminho. Se desse certo depois a gente ia pegar outro carro para qualquer cidade. Se eu teria coragem de cortar a cabeça? Lógico”, respondeu o garoto de 12 anos.


Fonte Acorda Cidade

NEUROCIENTISTA NEGRO BARRADO NO LOCAL ONDE FARIA PALESTRA EM SP

Neurocientista negro é barrado no local onde faria palestra em SP
Foto: Reprodução / Breaking Brown
Carl Hart, primeiro neurocientista negro professor titular da Universidade de Columbia, em Nova York (EUA), foi barrado na entrada de um hotel cinco estrelas em São Paulo. O caso ocorreu no mesmo local, onde Hart se hospedaria e ministraria uma palestra a convite do seminário do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), na quinta-feira (27). Depois de resolvido o constrangimento, o neurocientista viu que era o único negro no auditório, no qual falou para advogados criminalistas e juízes. Para a plateia, disse: "Vocês deveriam ter vergonha disso". Para a Folha, a administração do hotel Tivoli Mofarrej, nos Jardins, informou que não havia mais ninguém da assessoria de imprensa deles e, por isso, só poderia tratar do assunto na segunda-feira (31). Hart falou na palestra sobre como a guerra às drogas tem sido usada para atingir grupos sociais mais vulneráveis, entre eles, jovens pobres e negros, em lugares como o Brasil e os EUA.
Fonte: Bahia Notícias.


sábado, 29 de agosto de 2015

Você sabe o que significa a sigla “MC” utilizadas pelos funkeiros?


Já imaginou qual é o significado da sigla MC? Ela surgiu nas festas dos salões jamaicanos durante a década de 50 graças aos chamados SKA, que eram músicas que misturavam ritmos caribenhos, jazz e blues.

Nas festas em que essas músicas eram tocadas, o DJ era quem comandava os discos de vinil e também o microfone. O sucesso foi tão grande que as festas dos SKAs foi bastante divulgada e estavam sempre nas rádios.

Na época, as rádios não tinham locutores, mas sim Mestres de Cerimônia, responsáveis pela condução da festa. Dessa maneira, os DJs começaram a ser chamados de MC, que significava nada mais, nada menos, que Mestre de Cerimônias, ou pessoas que conduzem eventos importantes.

Assim como alguns funks atualmente e também o rap e hip hop, a SKA falava de indignação social, marginalização e injustiças sociais. Isso fez com que as músicas se popularizassem ainda.

Além dos DJs de SKA a sigla MC começou a ser utilizada por outros ritmos. No Brasil, os cantores de funk usam a sigla antes de seus nomes.
Inglês a distância
Aprenda Inglês e fale com o mundo!
  
O Polycenter, Instituição especializada no ensino de línguas estrangeiras, põe a disposição dos interessados seu curso de conversação em Inglês a distância.

O curso completo compõe-se de nove estágios ou níveis: três estágios básicos, três intermediários e três avançados.
 
Ao matricular-se, o aluno recebe CDs áudios e DVDs, produzidos para o desenvolvimento da conversação fluente em Inglês, que cobrem os estágios básicos, intermediários e avançados.  Os CDs e DVDs são verdadeiros professores que conduzem os alunos à conversação fluente e correta em Inglês.

Pelo sistema de aprendizagem a distância, o Polycenter acompanhará os alunos no domínio de cada lição. No final de cada grupo de lições, o aluno faz prova com que o professor designado para acompanhá-lo possa avaliar o grau de domínio de cada um (uma), atribuindo-lhe nota com  a indicação se deve ou não avançar para a etapa seguinte, até concluir o curso. Cada estágio é composto de 10 lições, as quais incorporam estruturas formais do idioma aplicadas à conversação.

Aprovação em cada estágio
A nota padrão para aprovação de um estágio para outro é oito (8,0), com que o participante prova ter alcançado 80% de domínio da matéria instruída no CD áudio ou DVD.

Diploma
No final do 9º. estágio, cumpridas as exigências de aprovação, conforme acima expostas, o aluno receberá Diploma de Habilitação em Conversação em Língua Inglesa, expedido pelo Instituto de Idiomas Polycenter.

Para informações sobre custo, forma de pagamento, banco e número de conta para depósito, e envio da ficha de inscrição, os interessados deverão fazer a solicitação através do e-mail: pedro_borgesdosanjos@yahoo.com.br




POLÍCIA PRENDE QUADRILHA QUE OBRIGAVA ESCRAVOS SEXUAIS A TRABALHAR 17 HORAS POR DIA

A polícia prendeu uma quadrilhava que traficava pessoas de outros estados para se prostituir no Distrito Federal. De acordo com o jornal Correio Braziliense, homens e mulheres com idades entre 18 e 25 anos eram atraídos pela promessa de bons empregos e melhores condições de vida. Mas, trabalhavam cerca de 17h, diariamente, sem intervalo, não ganhavam nada com os programas e viviam trancados. 

Em entrevista ao jornal, o delegado Alexandre Dias Nogueira afirmou que os envolvidos devem responder por rufianismo (ato de tirar proveito da prostituição alheia), tráfico de drogas e associação criminosa. “Eles ofereciam empregos como secretária, babá e coletor de material reciclável. Logo depois, as vítimas eram colocadas em cárcere. Os criminosos obrigavam os jovens a usar drogas, para criar uma dependência, e as ameaçavam de morte”, disse. 
Três garotas e um rapaz foram libertados. Segundo a polícia, Márcio de Melo Miranda, 27 anos, casado com Helena de Freitas Carvalho, 31, comandavam o grupo. Muitas vítimas eram trancafiadas em quartos estreitos, no último andar da casa da mãe de Márcio, Maria Facundo, 77, que informou à reportagem desconhecer a situação — o imóvel na Colônia Agrícola Arniqueiras.
A idosa, que alugava quartos com frequência, nunca houve desconfiança. “Eu recebia dinheiro das mãos de mulheres, mas tudo aqui era informal, tanto que algumas delas foram embora de repente, deixando, inclusive, seus pertences”, disse.

Fonte: Por Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)




Relação sexual com menores de 14 anos é crime, mesmo consentida, decide STJ


O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) decidiu na última terça-feira (25), por unanimidade, que praticar sexo com menores de 14 anos, mesmo com consentimento, é crime. Com este entendimento, o STJ condenou um padrasto que manteve relações sexuais com sua enteada de 13 anos. A decisão abre precedentes para que seja adota em casos semelhantes pelo país. O julgamento é uma resposta a várias apelações semelhantes em todo o Brasil, em processos de estupro de vulnerável, contrariando decisões embasadas na ideia de consentimento das vítimas. O recurso contra decisões de 1ª e 2ª instâncias foi apresentado pelo ministro Rogério Schietti, da turma da 3ª Seção do STJ, após receber pedido do Ministério Público do Piauí (MP-PI) contestando a absolvição do acusado pelo crime de estupro. Ele alegou manter um relacionamento amoroso com uma menina desde que ela tinha oito anos, hoje com 18. Na época da denúncia, ele tinha 25 anos e ela, 13. No caso, vítima e familiares dela confirmaram a existência de relacionamento entre eles. O TJ-PI absolveu o acusado, sustentando que a adolescente tinha discernimento e “nunca manteve relação sexual com o acusado sem a sua vontade”. Leia mais AQUI.