quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

NA BAHIA


Justiça extingue processo contra João Gualberto e prefeito de Mata de São João

O juiz Admar Ferreira Sousa determinou a extinção e arquivamento da Ação Civil Pública de improbidade administrativa contra o prefeito de Mata de São João, Marcelo Oliveira (PP), o deputado federal eleito, João Gualberto (PSDB) e o ex–prefeito da cidade de Cachoeira, Tato Pereira (PSDB). A ação, movida pelo Ministério Público da Bahia, acusava os tucanos de utilizar na campanha veículos que eram locados e abastecidos pela prefeitura de Mata de São João, o que foi considerado infundado pela justiça. De acordo com a sentença, Gualberto “demonstrou que os veículos foram alugados por ele, conforme declaração da empresa, termo de vistoria, notas fiscais e recibos”. Já as despesas relativas ao combustível dos carros utilizados na campanha foram financiadas pelo comitê do candidato a deputado federal, conforme documentos fiscais apresentados, desfigurando as suspeitas da promotora Luiza Garrido, autora da ação. “Não caracterizam atos de improbidade administrativa tendo em vista que está demonstrado nos autos que esses veículos se encontravam alugados pelo candidato João Gualberto e não pelo município”, sentenciou assim o magistrado. João Gualberto explicou ainda que “todas as despesas eleitorais foram pagas com recursos próprios e das minhas empresas, exatamente como declaro na prestação de contas da campanha, aprovada por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral”.  


Fonte: Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
Foto: Max 

EM ITAPARICA/BAHIA

Envolvido em assalto à casa de César Borges foge de delegacia; polícia realiza busca

Foto: Reprodução / TV Aratu
Um dos homens envolvidos no assalto à casa do ex-governador da Bahia e ex-ministro César Borges, ocorrido no último domingo (25), fugiu da Delegacia de Itaparica, segundo o site Aratu Online. Policiais já realizam diligências para recapturar Jean Pinto Borges, conhecido como "Vida Louca", que estava preso com uma algema a um corrimão. De acordo com a Polícia Civil, o delegado titular da unidade, Lúcio Ubiracê, está presente em buscas por toda a região. Até o momento, ainda não foi informada a circunstância da fuga. O delegado também está em busca de outros dois suspeitos de participar do assalto, conhecidos como Luciano e "Meu Véio".

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

EM CACHOEIRA/BAHIA

Senhora comete suicídio

Senhora, aparetemente sã, dona Estérnia, moradora na comunidade da famosa Ladeira da Cadeia, cometeu suicídio no dia de ontem, 27/01/2015, ateando fogo ao corpo após espalhar álcool sobre si. Pessoas mais próximas afirmam que dona Estérnia sofreu depressão, há pouco tempo. O funeral ocorreu, hoje, dia 28/01/2015, seguido de grande acompanhamento.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

NA BAHIA: Cidade da Cachoeira

Cachoeirano ganha competição e torna-se o 
5º. campeão mundial de Jiu Jitsu
O  atleta Edvan, campeão de Jui Jitsu
Edvan Guedes exibe medalhas de campeão, ladeado pelos advogados Claudio Almeida dos Anjos e Nelson Aragão Filho

O cachoeirano Edvan dos Santos Guedes alcançou o 5º. lugar no campeonato mundial de Jui Jitsu, na competição internacional realizada em Ibirapuera, SP, em agosto de 2014. Em seu acervo memorial de vitórias, Edvan conta com as medalhas de tri-campeão brasileiro e penta-campeão mundial.
Instruído pelo seu mestre José Alberto Tavares, da Federação Baiana de Jiu Jitsu, Edvan é faixa roxa e já se prepara para alcançar a faixa máxima até o final do ano.
Em Cachoeira, Edvan prossegue se dedicando exclusivamente à prática das artes marciais e mantém uma escola com 50 adolescentes aprendendo e praticando com ele o Jiu Jitsu, sem quaisquer remunerações.



Arábia Saudita registra primeira decapitação sob regime do novo rei

O novo rei saudita, Salman bin Abdulaziz. (Foto: AFP) 
O novo rei saudita, Salman bin Abdulaziz. (Foto: AFP)
 
Um homem condenado por ter sequestrado e estuprado várias mulheres foi decapitado nesta segunda-feira na Arábia Saudita, na primeira execução realizada sob o novo regime do rei Salman bin Abdulaziz.

Moussa al-Zahrani, cuja nacionalidade não foi informada, foi executado em Jidá (oeste). Esta foi a 13ª execução na Arábia Saudita desde o início do ano, e é a primeira desde que Salman assumiu o trono com a morte de seu meio-irmão, o rei Abdullah.

Leia também:
Crise no Iêmen é primeiro grande teste de novo rei saudita
Novo rei da Arábia Saudita quer diversificar a economia do reino

Em 2014, a Arábia Saudita executou 87 pessoas condenadas à morte. Em 2013 foram 78, de acordo com a contagem da AFP.

Segundo um relatório da Anistia Internacional, o reino realizou o terceiro maior número de execuções no mundo em 2014, atrás do Irã e do Iraque.

Estupro, assassinato, apostasia, assalto à mão armada e tráfico de drogas são puníveis com a morte no reino.

EM CACHOEIRA/BAHIA

Advogados buscam alternativas para julgamento de Ações  no Fórum Teixeira de Freitas
 
Com um dos mais concorridos escritórios de advocacia da Cachoeira e região, os advogados Nelson Aragão Filho e Claudio Almeida dos Anjos reuniram-se no dia 22 de janeiro recente,  com o juiz de Direito da comarca, Dr. Gustavo Teles Veras Nunes, na presença de aproximadamente 50 clientes do mencionado escritório com Ações pendentes de julgamento no Cartório Civel do Fórum Teixeira de Freitas. De forma cortês  e ordeira, pleitearam junto ao magistrado determinação da referida autoridade para fazer com que os processos sejam julgados, tendo em vista que as solenidades legais já foram integralmente cumpridas. Os mencionados processos, em meio a tantos outros, padecem dilação, arquivados no Cartório Civel da Comarca, sem que se sinalize o cumprimento do veredicto final. O juiz assumiu o compromisso de urgir providências para julgamento das Ações de todos que participaram da audiência, imediatamente, acolhendo as anotações oficiais de cada processo, para proceder ao seu julgamento.

Flashes da audiência no Salão do Júri:



Comentário da Redação do Jornal O Guarany:
O Dr. Nelson Aragão Filho reuniu aproximadamente 50 clientes do seu Escritório de Advocacia no Salão do Júri do Fórum Teixeira de Freitas para em audiência com o juiz Gustavo Veras solicitar que as Ações dos referidos clientes sejam logo julgadas, tendo em vista que já foram cumpridas todas as solenidades que a legislação requer para receber o veredicto do magistrado. O juiz muito atencioso, educado, acolheu todas as solicitações, com a promessa de proceder ao julgamento reclamado.
 
Raciocínio I

Todavia, cabe expressar raciocínio sobre o assunto: Além de quantos compareceram à mencionada audiência, o Escritório de Advocacia do Dr. Nélson Aragão Filho tem mais do dobro de clientes com Ações pendentes de julgamento, arquivadas no Cartório Civel do Fórum Teixeira de Freitas, inclusive Ações com mais de 10 anos.
Os advogados que militam no Fórum Teixeira de Freitas, só o Dr. Nélson Aragão Filho tem buscado o magistrado com este mesmo propósito, não apenas com o atual juiz, mas com sete outros que o antecederam, mesmo assim o pleito não prosperou.


Raciocínio II

Entende-se, ante o silêncio dos advogados militantes no referido Fórum, que Ações de seus clientes vêm recebendo dos magistrados, incluindo, o atual, o apreço do devido trâmite e do julgamento.

Problema I
Conclui-se que há algo muito errado e grave com as Ações representadas pelo Escritório de Advocacia do advogado Nélson Aragão Filho, com que permanecem paradas sem tramitação, padecendo de intolerável dilação, gerando na clientela revolta e comentários que ofendem a honra profissional de um dos mais competentes advogados da região.
 
Problema II
Só têm prosperado, com veredictos céleres, seus clientes ligados à marginalidade, ao crime do tráfico de drogas, homicídios, etc.
Lamenta-se que Ações de cidadãs e cidadãos de bem prossigam padecendo de dilação no Cartório Cível, 1,2,3,4, 5, 6, e....até mais de 10 anos.

Problema III
Caso outros advogados, os silenciosos acima mencionados, as Ações de seus clientes também estejam a permanecer na Galeria do Desapreço do Fórum Teixeira de Freitas, o problema é muito mais grave.
 






sábado, 24 de janeiro de 2015

EM SALVADOR/BAHIA

Após incêndio de ônibus, moradores de Mata Escura reclamam de truculência da PM

Após incêndio de ônibus, moradores de Mata Escura reclamam de truculência da PM
Foto: Reprodução/G1

Após dois ônibus serem incendiados no bairro, por conta da morte de dois homens em confronto policial na última quinta-feira (22), moradores de Mata Escura reclamaram da truculência da PM em ações no local. Segundo informações do jornal Correio, os alvos da crítica são os agentes da 48ª Companhia Independente de Polícia Militar (48ª CIPM/Sussuarana), que segundo os residentes do local, “chegam agredindo, xingam: ‘Vagabundos? O que estão fazendo na rua?’”. “A gente não pode sentar na porta, que eles dizem: ‘O que estão fazendo, o quê, rebanho de putas?’”, disse uma moradora, em entrevista ao Correio. Outra mulher afirma que “Xingamento é o mínimo que fazem”. “Eles não param para perguntar. Vão batendo nas pessoas aleatoriamente. Dão tapa no rosto de pais de família na frente dos filhos, de graça! Não é porque moramos em um local de classe baixa que devemos ser tratados como animais”, apontou. “Infelizmente, tudo o que disseram é verdade. Quando entram nas casas, é revirando tudo, quebrando tudo... Arrombam as portas e, se alguém reclama, ameaçam matar”, declarou outro morador ao Correio.  Segundo os relatos, para amedrontar a população, os PMs teriam espalhado fotos dos corpos de Ebert Silva dos Santos e Denilson Souza de Barros, que foram mortos na quinta. De acordo com o Correio, a PM informou em nota que os ataques aos |ônibus “são decorrentes da reação de traficantes contra as ações ostensivas da polícia no bairro”. Em relação a morte de Ebert e Denilson,  a corporação afirmou em nota ao jornal que, por volta das 20h de quinta, a PM foi informada de que havia cerca de dez homens armados no Beco do Areal e viaturas da 48ª CIPM foram encaminhadas para o local, “onde foram recebidas a tiros”. Ebert e Denilson foram atingidos, e, segundo a nota, foram socorridos para o Hospital Roberto Santos, mas não resistiram aos ferimentos. Os moradores contestam a versão e negam o confronto. “Ebert e Denilson estavam em um beco, quando os policiais tinham fechado todas as ruas. Eles chegaram atirando e um deles morreu na hora. O outro ainda respirava e foi arrastado pelos pés e jogado na mala da viatura sobre o corpo do outro”, disse um residente da região. A PM informou ainda ao Correio que dois revólveres calibre 38 Taurus, uma corrente de metal prata, 213 pacotinhos de cocaína e um boné foram encontrados com os suspeitos e encaminhados à Corregedoria da Polícia Militar.